11º Teleton – por Helô Rocha

11º Teleton – por Helô Rocha*

 Nos dias 7 e 8 de novembro foi realizado o 11º Teleton, uma maratona televisiva realizada pela Sistema Brasileiro de Televisão (SBT) no intuito de arrecadar fundos para ajudar a Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD).

A maratona contou com 27h de programação ininterrupta e pretendia arrecadar 18 milhões de reais. O evento conseguiu ultrapassar a meta desejada e diminuir a fila de espera, que passa da marca de 32 mil pessoas nas oito unidades brasileiras da instituição. Nesse ano, algumas modificações foram realizadas para que a meta fosse atingida.

A primeira delas foi a produção de um show de abertura no Parque do Ibirapuera. Artistas consagrados como Paralamas do Sucesso e Paula Toller abrilhantaram as primeiras horas do Teleton. Simultaneamente, alguns artistas já se encontravam nos estúdios da SBT para incentivar também a arrecadação. Outra novidade foi que tanto no SBT como em outras emissoras afiliadas à causa – chamando essa iniciativa de Rede da Amizade – ajustaram alguns programas para o contexto do Teleton.

Cobertura

Em 2008, tive o prazer de cobrir o evento pela Rádio Gazeta AM e conhecer, mais de perto, essa causa que já perdura por 11 anos. O espaço é montado nos estúdios da SBT e a acessibilidade física é de primeira, pois a presença de cadeirantes é enorme no local.

 Entretanto, o deficiente físico que for só terá um pouco de dificuldade de encontrar uma equipe preparada para ajudá-lo, já que o evento não contrata pessoas para esse tipo de função. Ou seja, é de extrema importância que o deficiente leve um acompanhante para guiá-lo ou levá-lo ao banheiro.

A equipe que organizava a entrada e saída de pessoas que iriam ficar na platéia não conseguiu conter a demanda. Por conta disso alguns cadeirantes foram impedidos de participar da platéia. Isso tudo porque os que já estavam lá não queriam sair, ou seja, faltava alguém que marcasse o tempo que cada um poderia permanecer no ambiente.

Todos os presentes tiveram apoio e equipamento para se sentir confortavelmente bem. Fora isso, os artistas que compareciam à Sala Vip (espaço onde circulava a imprensa e convidados) estavam sempre a postos para atender o público.

De qualquer forma, um evento como o Teleton não ajuda somente às crianças atendidas pela AACD. Com seu alcance nacional, a sociedade passa a entender e se conscientizar mais sobre as causas das pessoas com deficiência. "A sociedade precisa compreender e derrubar as barreiras de atitudes e as arquitetônicas, porque uma vez que essas barreiras inexistam a deficiência também deixará de existir", declarou o diretor presidente da AACD, Eduardo de Almeida Carneiro.

Para ler a entrevista completa com o diretor presidente da AACD, Eduardo de Almeida Carneiro, clique aqui.

*Helô Rocha é jornalista. Atualmente reside em São Paulo, é portadora de Osteogênese Imperfeita, membro da Ong ISocial e correspondente do Portal Inclusão Social.

Publicado em Notícias