30ª Festa do Verde – por Helô Rocha*

30ª Festa do Verde – por Helô Rocha* 

 A Sociedade Beneficente Casa da Esperança (Kibô-no-Iê), entidade filantrópica dedicada ao amparo ao deficiente intelectual, realizou nos dias 11 e 12 de outubro a 30ª Festa do Verde no Memorial da América Latina, em São Paulo.

O evento tem como objetivo principal em busca de fundos e meios de colaboração para a sustentação das atividades beneficentes da Kibô-no-Iê. Essa iniciativa conta com a participação maciça da comunidade nipo-brasileira, de amigos da entidade e de voluntários de diversas entidades.

A 30ª Festa do Verde trouxe inúmeras atrações para entreter a família inteira. Foram mais de 100 estandes onde o visitante pôde fazer exames de saúde, participar de palestras educativas e oficinas ligadas a temas como meio ambiente e cultura, vivenciar a cultura oriental em apresentações artísticas, almoçar passear, fazer compras e assistir a shows variados de música brasileira e japonesa. Dentre as inúmeras atrações, abro um destaque aos cantores nacionais Jair Rodrigues, Luciana Mello e Jair Oliveira – estes que animaram a festa.

 Na festa, os estandes foram divididos em áreas como gastronomia, cultura, saúde, meio ambiente, cidadania e bazar da pechincha. Além disso, há exposições e vendas de flores e plantas e o Sacolão da Esperança, que comercializa legumes, verduras e frutas de alta qualidade com preços incomparáveis.

A entidade Kibo-no-Iê

A entidade surgiu do sonho de Koko Ichikawa, uma imigrante japonesa que desembarcou no Brasil em 1958 com a determinação de ajudar aos necessitados. Com experiência no tratamento de excepcionais ela criou a entidade em 1963.

A Kibo-no-Iê abriga em regime de internato 90 pessoas com deficiência intelectual, de diversas faixas etárias e vindo de várias e vindo de v de diversas faixas etas com deficiÇante japonesa que desembarcou no Brasil em 1958 com a determinaçios pontos do País. No entanto, a maioria das pessoas atendidas na intituição são descendentes de famílias japonesas. Apesar de viverem sob regime de internato, muitos passam os finais-de-semana ou feriados de final de ano com a família.

Os assistidos têm normalmente um dia agitado, realizando atividades coletivas e individuais, adaptadas às suas capacidades. Uma das mais interessantes é a musicoterapia, que une os internos na prática musical. Eles recebem todo tipo de tratamento médico, como fisioterapia, fonoaudiologia, psicológica e terapia ocupacional, e também participam de vários eventos, passeios e festividades.

Para fazer parte da Kibo-no-Iê, uma entrevista é feita com a família do suposto candidato e são exigidos exames que comprovem a deficiência intelectual da pessoa.

Casa da Esperança (Kibo-no-Iê)
Rua Domingos de Morais, 1722 – Vila Mariana, CEP: 04010-200 São Paulo (SP)
E-mail: atendimento@kibonoie.org.brTel/Fax (11) 5549-2695

*Helô Rocha é jornalista. Atualmente reside em São Paulo, é portadora de Osteogênese Imperfeita, membro da Ong ISocial e correspondente do Portal Inclusão Social.

Publicado em Notícias