Avosos convive há 30 anos com oscilações no tratamento do câncer infantojuvenil em Sergipe

Em diversas partes do mundo, a saúde se constitui como um dos gargalos para os gestores públicos. Em Sergipe não poderia ser diferente, o que exige uma somação de forças para dirimir as dificuldades. A situação é ainda mais complicada quando o assunto é câncer devido à urgência no diagnóstico e também no tratamento. Neste cenário surgiu a Associação dos Voluntários a Serviço da Oncologia em Sergipe (Avosos), que há 30 anos se dedica, com carinho e profissionalismo, para oferecer sua contribuição à causa da criança e do adolescente com câncer.

De 1º de janeiro a 30 de junho deste ano, a Avosos atendeu 33 crianças e adolescentes com suspeita de câncer. Destes, 12 foram confirmados, 16 não confirmados e cinco ainda estão em avaliação. Além disso, foram cadastrados 30 novos casos de câncer infantojuvenil e, neste período, a Casa de Apoio e o Serviço de Oncohematologia Pediátrica (Sohep) assistiram a 373 crianças e adolescentes

Segundo informações da assistente social da instituição, Sara Mônica, também neste período a Avosos disponibilizou 15 tipos de medicamentos para tratamento oncológico de crianças e adolescentes, o correspondente a 291 ampolas e 481 comprimidos para 41 pacientes em tratamento. “Além desses medicamentos, também foram disponibilizados 199 exames especializados (PET-scan, ressonância, tomografia e outros) para 95 pacientes em tratamento e com suspeita da doença, atendendo à solicitação de 216 receitas dos oncohematologistas pediátricos do Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE)”, informa a profissional.

Segundo informações do fundador e atual presidente da Avosos, Wilson Melo, estes dados são informados aos órgãos competentes sempre que solicitado e/ou quando na prestação de contas periódicas, bem como são publicados no site da instituição (www.avosos.org.br) e nos balanços semestrais/anuais. Ainda conforme o voluntário, o abandono ao tratamento é zero por conta da Casa Tia Ruth de Apoio à Criança e ao Adolescente com Câncer. “Cumprir o papel do Estado não é a função da instituição, mas sim agilizar o tratamento e orientar as famílias de crianças e adolescentes com câncer. Nosso foco é fornecer o apoio necessário, buscando sempre contribuir para a cura e a melhor qualidade de vida dos nossos assistidos”, pontua o voluntário.

Além de assistir os casos suspeitos para confirmação ou não do diagnóstico,  a Avosos fornece exames e medicamentos para crianças e adolescentes em tratamento, bem como oferece serviços de uma equipe multidisciplinar, composta por assistente social, fisioterapeutas, nutricionista, odontóloga, pedagoga e psicóloga. A assistente social da instituição informa que a Avosos é referência regional na área. “Além do alojamento e de atividades recreativas e lúdicas, oferecemos consultas e procedimentos para tratamento. A nossa casa de apoio contém 72 leitos para hospedagem, refeitório, cozinha, lavanderia, espaço multieventos, horta, brinquedoteca, biblioteca, oficina de informática, estar das mães, videoteca, sala de jogos, sala de recreação e auditório. Além disso, oferecemos passagens, cestas básicas, dentre outras necessidades. Tudo isso para melhor atender à criança e ao adolescente que chega a Avosos”, revela Sara Mônica.

 

Publicado em Notícias Marcado com: , , ,