Brasil fica em sétimo lugar no ranking de jornalistas mortos em 2015, aponta estudo

jornalismo

Foto: blogs.ne10.uol.com.br

Um levantamento publicado nesta segunda-feira, 14, pela Press Emblem Campaign (PEC) apontou o Brasil como um dos dez países mais perigosos para jornalistas, ocupando a sétima posição do ranking. A entidade ainda registrou que 128 profissionais de imprensa foram mortos em 2015.

Segundo o Estadão, o estudo leva em consideração o número de profissionais mortos em cada nação durante o período de um ano. Somente em 2015, sete jornalistas foram mortos no Brasil, número que deixa o país sul-americano empatado com Iêmen e Sudão do Sul, dois estados em guerra.
Nos últimos cinco anos, ainda de acordo com o estudo, 35 jornalistas foram mortos no Brasil. Entre os casos de maior repercussão estão os assassinatos de Valério Luiz em Goiânia (GO), em 2012; Santiago Andrade no Rio de Janeiro (RJ), em 2014; e Evany José Metzker em Padre Paraíso (MG), em 2015.
Entre os primeiros países do ranking estão Síria (11 mortos); Iraque e México (10); França, Líbia e Filipinas (8); e Brasil, Iêmen e Sudão do Sul (7).
Fonte: www.fndc.org.br

Nossos contatos

Portal: www.inclusaosocial.com
Facebook: www.facebook.com/PortalInclusaoSocial
Twitter: @Inclusao_Social
Contatos: falecom@inclusaosocial.com / (79) 99128-8277

Publicado em Notícias