Campanha exige que Estados Unidos parem de enviar armamentos a Israel

Palestinians wait to cross the Hawara checkpoint on the outskirts of the West Bank city of NablusA Anistia Internacional (AI) está difundindo uma campanha para exigir o embargo total de armamentos às partes do conflito no Oriente Médio, Israel e Palestina. Especialmente os Estados Unidos são acusados de enviarem grandes quantidades de armas, mísseis e projéteis para Israel, garantindo grande poder bélico de alta destruição, que está sendo usado para cometer violações graves ao direito internacional na Faixa de Gaza.

A organização afirma que os EUA estão fornecendo armamento a Israel de forma indiscriminada. O Pentágono teria aprovado o envio de um arsenal de 4,3 toneladas de motores de foguete, além de grandes quantidades de granadas e morteiros para as forças israelenses. Os armamentos teriam chegado ao porto israelense de Haifa em 15 de julho.

OS EUA são considerados o principal fornecedor de armamento de Israel. Os valores dos armamentos repassados em janeiro a maio deste ano chegaram a mais de 63 milhões de dólares. Segundo a AI, os repasses incluem peças de mísseis guiados e lançadores de granadas, componentes de artilharia e armas de pequeno porte.

O diretor da campanha de Controle de Armas e Direitos Humanos promovida pela AI, Brian Wood, informa que: ” O governo estadunidense está colocando lenha na fogueia ao seguir fornecendo esse tipo de armamento utilizado pelas forças armadas de Isael para violar direitos humanos”. Wood afirmou ainda que os EUA devem admitir que ao enviarem e pagarem por tal armamento estão potencializando ainda mais os abusos contra civis palestinos na Faixa de Gaza.

A campanha da AI surge no momento os EUA teriam afirmando manteriam o fornecimento de armas a Israel, mesmo após as mesmas autoridades estadunidenses terem condenado a ofensiva do exército israelense, que, na última semana, bombardeou uma escola da ONU (Organização das Nações Unidas) na Palestina, matando pelo menos 20 pessoas, entre crianças e funcionários da ONU.

A AI vê o discurso de EUA com cinismo e Wood assinala que: “como principal exportador das armas de Israel, os EUA devem tomar a iniciativa e demonstrar o respeito que afirmam ter pelos direitos humanos e pelo direito internacional humanitário, suspendendo, com urgência, as transferências de amas a Israel e pressionando para que seja imposto um embargo de armas na ONU para todas as partes do conflito. Não fazer isso mostra uma cruel despreocupação pelas vidas que estão sendo perdida durante o conflito, em todos os lados”.

Para aderir à campanha acesse:

https://campaigns.amnesty.org/es/campaigns/us-stop-arming-israel.

Para saber mais sobre o envio de armamento dos EUA para Israel acesse:

http://bit.ly/UE089K.

Fonte: www.adital.com.br

Publicado em Notícias