Candelária: inegável trabalho de inclusão social

Candelária: inegável trabalho de inclusão social


Maria Niziana Castelino, mais conhecida como Candelária, foi a primeira prostituta a receber aposentadoria, a pioneira nos recolhimentos de impostos e também a número um em usar mini-saia.


A lenda viva, que é fundadora e presidenta da Associação Sergipana de Prostitutas (ASP), terá sua vida e obra retrata por um grupo de cineastas, único trabalho sergipano entre os 35 documentários que integram o projeto DocTV, do Ministério da Cultura.


Apesar de polêmico, o trabalho de inclusão social desempenhado por Calendária é inegável, tendo recebido inclusive reconhecimento internacional. As 700 mulheres cadastradas na ASP recebem informações sobre cuidados com as Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs), gravidez, noções de cidadania, estímulo à auto-estima, dentre outros assuntos.

Publicado em Notícias

Sugestões são sempre bem-vindas. Um abraço!