Curso de formação de tradutores e intérpretes de Libras abre matrículas

1Profissionais ligados a área da Língua Brasileira de Sinais (Libras) agora podem contar com mais um incentivo para sua formação e qualificação profissional. Trata-se do primeiro curso de Formação de Tradutores e Intérpretes de Libras (Ftil) focado no desenvolvimento de habilidades e competências linguísticas do estado. O curso já qualificou mais de 30 profissionais em 2015.

Segundo a coordenadora geral e idealizadora do Ftil, Solange Silva dos Santos, a vontade de compartilhar conhecimento sobre área e o desejo de ver o mercado mais aquecido para estes profissionais, foram suas maiores motivações para pensar na possibilidade de um curso funcionando em Sergipe. “O Ftil era um sonho antigo, decorrente da minha prática, e graças a oportunidade que tive fruto da minha formação no curso de Letras com habilitação em Libras bacharelado em Salvador, percebi o quanto aprendi em termos de conhecimentos científicos acerca da profissão, só que me angustiava muito perceber que não existia este tipo de formação aqui no estado”, relata coordenadora.

A partir de sua convivência com a comunidade surda, Solange percebeu que esta era uma preocupação compartilhada por surdos e intérpretes de Libras. “Eu observava que os surdos, nossos clientes, reclamavam da atuação da maioria dos profissionais, mas, por outro lado esses profissionais tinham dificuldade para encontrar cursos de qualificação em Sergipe. Diante disso, o Ftil foi amadurecendo, e só foi possível realizá-lo depois de encontrar o apoio de uma liderança surda”, concluiu.

 

2O surdo e vice-presidente do Centro de Surdo de Aracaju (Cesaju), Geraldo Filho, viu no projeto a chance de aumentar a qualidade desses profissionais e compartilhar um pouco da essência da cultura surda no dia a dia desses profissionais.  “ Com essa qualificação, as empresas e instituições poderão contar com trabalho de exelentes profissionais e nós clientes vamos receber um serviço melhor. O surdo tem a Libras como primeira língua, então o intérprete precisa estar em contato com essa prática, o objetivo do curso é melhorar a atuação desses intérpretes”, explica.

Além de ser uma liderança surda, Geraldo também faz parte da coordenação pedagógica do curso, ele  também é estudante de Letras-Libras na Universidade Federal de Sergipe (UFS) e atua como professor de Libras há muitos anos no mercado de Aracaju. “Eu observo que os cursos trabalham muito as questões teóricas, mas nossa intenção aqui é reduzir a teoria e desenvolver mais as habilidades linguísticas dos alunos, para que eles possam se tornar de fato profissionais habilitados. Por isso temos todo cuidado para avaliar esses cursistas, focando na postura profissional, corrigindo suas imperfeições e melhorando suas habilidades linguísticas”, finaliza.

FTIL 

O Ftil é curso modular com a carga horária de 240 horas, com a proposta de um encontro mensal ou seja, um final de semana por mês (sábados e domingos). Ele é voltado para formação de tradutores e intérpretes de Libras, ou qualquer pessoa que tenha concluído o pré-requisito mínimo de 80 horas de Libras. O curso é focado no desenvolvimento das competências e habilidades necessárias a profissão e tem como diferencial o apoio  de um grupo de surdos que integrará a equipe linguística e tecnológica, o que acrescentará nas avaliações individuais dos alunos. Mais informações através do e-mail: curso.ftil@gmail.com ou fanpage: https://www.facebook.com/curso.ftil/?fref=ts .

Fonte: Assessoria de Comunicação

Publicado em Notícias