De geração em geração

Trecho do documentário em que Betinho faz pronunciamento na ONU – Foto: Reprodução

A Organização Não-Governamental Ação da Cidadania lançou o documentário ´Histórias da Fome no Brasil´, dirigido por Camilo Tavares. Entre os entrevistados da obra cinematográfica está Amaury Santos, pesquisador da Embrapa Tabuleiros Costeiros em Aracaju que atua em projetos de pesquisa para fortalecer a conservação e o uso de sementes crioulas de milho e outras culturas por agricultores familiares no Semiárido do Nordeste. Amaury coordenou o projeto de pesquisa da Embrapa com foco no resgate das sementes crioulas nas regiões da Borborema e do Cariri, no Semiárido da Paraíba.

Nessas localidades, agricultores familiares usam as sementes crioulas, conhecidas como ´sementes da paixão´, para formarem suas lavouras. Além de garantirem alternativas de renda e segurança alimentar às famílias de pequenos agricultores na região, as sementes asseguram a diversidade genética, são resistentes à seca e representam um patrimônio da agricultura local. Por denominação, as sementes crioulas são variedades desenvolvidas, adaptadas ou produzidas por agricultores familiares, assentados da reforma agrária, quilombolas ou indígenas, com características bem determinadas e reconhecidas pelas respectivas comunidades. Passadas de geração em geração são preservadas nos muitos bancos de sementes que existem no Brasil.

A ideia do documentário surgiu em 2014, quando a Organização das Nações Unidas (ONU) anunciou que o Brasil havia deixado do Mapa da Fome, levantamento que mostra onde vivem os milhões de pessoas que ainda passam fome no mundo. Informações: (79) 4009-1381 (Jornalista Saulo Coelho).

Fonte: www.embrapa.br.

Publicado em Notícias