Juventude roubada: denunciar é preciso!

 Juventude roubada: denunciar é preciso!

18 de maio: Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A data, criada em 2000, foi escolhida porque em 18 de maio de 1973 uma menina de oito anos foi espancada, estuprada e morta por filhos da alta sociedade de Vitória, no Espírito Santo. O caso, até hoje impune, ficou conhecido como "Crime Araceli" e comoveu todo o país. O assunto é sério e merece muita atenção. Denunciar é preciso!

Diversos órgãos públicos e privados, além do Terceiro Setor, mobilizam-se hoje em prol desta causa. Apesar de tantas informações à respeito do assunto, ainda tem gente achando que o assunto acontece distante de nós. Será mesmo? A Associação Brasileira de Proteção à Infância e Adolescência (Abrapia) identificou que o maior índice de abusos sexuais na infância ocorre entre os 7 e 14 anos, com 52%; depois, de 0 aos 6 anos, com 37%; e dos 15 aos 18 anos, com 11%. Em Sergipe, somente nos últimos dois anos, dois programas de atendimento a meninos e meninas registraram 314 casos. O ´Libertar´, coordenado pelo governo estadual, computou 218 atendimentos. Outros 93 casos foram encaminhados ao programa do município de Aracaju, o ´Sentinela´.

Você conhece casos assim? Então denuncie! Eles são encaminhados para atendimento adequado através de programas sociais. Procure o Conselho Tutelar, a Delegacia Regional do Trabalho, as secretarias de Assistência Social ou diretamente ao Ministério Público do Trabalho. Para denúncias on line o site é www.mpt.gov.br/denuncie.html. Informações: (79) 3246-1923 (Maria Stela) / adolescenciasergipe@ibest.com.br / 0800-791400 (municipal) / 0800-2841407 (estadual) e 100 (federal).

Publicado em Notícias