MST avalia que ano foi positivo para o grupo em Sergipe

MST avalia que ano foi positivo para o momento em Sergipe

 O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) em Sergipe tem o que comemorar em 2008. Mais assentamentos, liberação de verbas pelo Governo Federal e Estadual, novas parceiras, implantação de infra-estrutura nos assentamentos, entre outras coisas.

Esse foi um ano positivo para o MST, afirma o diretor estadual do movimento, Esmeraldo Leal. Sergipe conta com 8.100 assentados, sendo que destes, 300 foram assentadas em 2008. No entanto, o número de acampados ainda é superior, 13.500 famílias. A quantidade de pessoas assentadas este ano ainda é insignificante se comparado o número de acampados, compara.

Os municípios com assentados receberam uma série de projetos na área de infra-estrutura, a exemplo de implantação de energia elétrica, água, habitação de qualidade e rodovias que ligam os lotes às cidades.

No que se refere à educação, 2008 foi um marco na história do MST. Cinqüenta e cinco pessoas obtiveram o diploma de nível superior no curso de Agronomia pela Universidade Federal de Sergipe. Além disso, outras 50 pessoas estão na universidade cursando Pedagogia da Terra e 48 universitários estão no curso de Educação no Campo.

As parcerias realizadas com os governos petistas – federal e estadual – são positivas. Ambos liberaram R$ 50 milhões para que sejam assentadas 1.200 famílias no sertão sergipano. O processo, inclusive, já iniciou.

 Na produção agrícola, o movimento também comemora. Produtos como o leite e o milho além de serem comercializados também ajudam a abastecer os assentamentos. Também foi firmada uma parceria com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para comercialização de produtos produzidos nos lotes.

Pronaf – O Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), que é um programa do governo federal criado em 1995, deu a oportunidade aos agricultores assentados pela reforma agrária de renegociar suas dívidas. Além disso, o Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF) e o Programa Especial de Crédito para Reforma Agrária (Procera) também contribuíram para o fortalecimento da agricultura familiar.

Aqueles que aderiram ao incentivo do governo, tiveram direito a descontos e bônus para refinanciar ou mesmo liquidar suas operações em condições muito vantajosas.

Os programas têm como objetivo o fortalecimento das atividades desenvolvidas pelo produtor familiar, de forma a integrá-lo a cadeia de agronegócios, proporcionando-lhe aumento de renda e agregando valor ao produto e à propriedade, mediante a modernização do sistema produtivo, valorização do produtor rural e a profissionalização dos produtores familiares.

2009 – A meta para o próximo ano é tentar aumentar o número de famílias assentadas. Há previsão de que no mês de abril as ocupações sejam retomadas.

Fonte: Jornal do Dia

Publicado em Notícias