Proteger as tartarugas

O litoral sergipano é a principal área de desova da tartaruga Oliva no Brasil, ocorrendo também em menor grau desovas das tartarugas Cabeçuda, de Pente e Verde, todas classificadas em graus de ameaça quanto à extinção. Entre 2017 e 2018 foram registradas 467 desovas de tartarugas marinhas, que são responsáveis pelo nascimento de 30.739 filhotes. Segundo o Projeto Tamar estima-se que a cada mil filhotes de tartaruga, apenas um ou dois conseguem chegar a idade adulta.

Para proteger as tartarugas, a pedido do Ministério Público Federal em Sergipe, a Justiça Federal determinou ao município de Pirambu que adote providências para adequar a iluminação ao longo da orla marítima. A medida é necessária para não prejudicar o ciclo reprodutivo das tartarugas marinhas, visto que foi verificada mortalidade de filhotes de tartaruga devido à desorientação causada por fontes luminosas inadequadas na localidade.12

Publicado em Notícias

Sugestões são sempre bem-vindas. Um abraço!