Sociedade Civil vai discutir acesso à alimentação em Sergipe

Sociedade Civil vai discutir acesso à alimentação em Sergipe

 Debater a convivência com o semi-árido a partir do acesso da população a alimentos de qualidade, de forma regular e permanente, em quantidade suficiente, tendo como base práticas alimentares promotoras de saúde, que respeitem a diversidade cultural e que sejam social, econômica e ambientalmente sustentáveis. Este é o principal objetivo do VIII Encontro Estadual da Articulação no Semi-Árido Brasileiro (ASA).

O tema será abordado tanto do ponto de vista das políticas governamentais que estão sendo adotadas e as que se quer desenvolver. A partir dessa abordagem, os representantes da ASA irão discutir estratégias de mobilização das comunidades do semi-árido na busca da efetivação dessas políticas que possam garantir a soberania alimentar. 

O encontro acontece de 02 a 04 de dezembro de 2008, no auditório do Hotel D’Burguês, em Aracaju, e vai reunir aproximadamente 80 representantes de diversos segmentos da sociedade civil organizada de 20 municípios: Canindé do são Francisco, Lagarto, Macambira, Monte Alegre de Sergipe, Nossa Senhora Aparecida, Nossa Senhora da Glória, Pinhão, Poço Redondo, Porto da Folha, Simão Dias, Carira, Frei Paulo, Gararu, Itabí, Nossa Senhora de Lourdes, Poço Verde, Riachão do Dantas, São Miguel do Aleixo, Tobias Barreto e Cedro de São João). A organização é da Cáritas Diocesana de Estância, Centro Dom José Brandão de Castro (CDJBC) e Associação Mão no Arado de Sergipe (Amase).

Ainda durante o evento, serão formados painéis de debates sobre gênero, juventude rural, comunicação e desertificação a partir do enfoque no Semi-árido sergipano: características geográficas, políticas e culturais; potencialidades e territorialidade.

Sobre a Articulação no Semi-Árido Brasileiro

Articulação no Semi-Árido Brasileiro – ASA é um fórum de organizações da sociedade civil que atua em prol do desenvolvimento social, econômico, político e cultural da região do semi-árido. A ação de maior destaque é o Programa Um Milhão de Cisternas (P1MC) cujo objetivo é propiciar, através da construção de cisternas domiciliares, o acesso descentralizado à água potável para um milhão de famílias em todas as regiões do semi-árido nordestino, além do estado de Minas Gerais. Em Sergipe, através do P1MC, foram construídas 7.360 cisternas, beneficiando cerca de 36 mil pessoas. 

Na opinião de Maria Inês dos Santos Souza, membro da coordenação da ASA Sergipe, a cisterna não resolve toda a necessidade hídrica das famílias do semi-árido, mas é um importante instrumento para a convivência com a seca.  "A água da cisterna proporciona melhor qualidade de vida para as famílias, especialmente crianças, mulheres e idosos. Além disso, a partir desse, a população pode discutir alternativas sustentáveis para a convivência e cobrar políticas públicas adequadas para a região".

Clique aqui para conhecer outras ações da ASA no semi-árido brasileiro.

Publicado em Notícias