Uma questão jornalística de Direitos Humanos

Uma questão jornalística de Direitos Humanos


 


Desde que a Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou a Declaração Universal dos Direitos Humanos, em 1948, o assunto virou pauta para reflexões mais profundas em diversas áreas, não podendo ser diferente no meio jornalístico.


 


Preservar o juízo de que nascemos “livres e iguais em dignidade e direito” é papel dos formadores de opinião, através de um trabalho sério de apuração, cobrança, denúncia e fiscalização. E foi pensando nisso que o Sindicato dos Jornalistas no Estado de Sergipe (Sindijor) se somou à Petrobras para a realização do Prêmio Direitos Humanos Petrobras de Jornalismo.


 


Lançado no Dia do Jornalista, 7 de abril, o Prêmio vai repassar R$ 31 mil para jornalistas, radialista e estudante de Jornalismo. No total, são sete categorias, sendo seis profissionais e uma universitária. As inscrições podem ser feitas até o dia 3 de junho, sem prorrogação, com publicações ou veiculações datados de 1 de janeiro de 2004 até 30 de maio de 2005. Uma novidade deste prêmio em relação aos anteriores realizados em Sergipe é que a comissão julgadora é composta por três jornalistas do Distrito Federal.


 


“Sabemos que o pessoal deixa sempre para última hora, mas alertamos que o período para veiculação das reportagens está acabando e as inscrições serão encerradas rigorosamente no dia 3 de junho, uma sexta-feira”, comenta José Cristian Góes, presidente do Sindijor/SE. O regulamento e a ficha de inscrição podem ser retirados na sede do Sindicato dos Jornalistas (rua Itabaianinha, 261, sala 10, Centro, Aracaju/SE) ou no site www.sindijor-se.com.br.


 


O que: Prêmio Direitos Humanos Petrobras de Jornalismo


Quando: Inscrições até o dia 3 de junho


Onde: Sindicato dos Jornalistas no Estado de Sergipe (Sindijor)

Mais informações: (79) 3214-1586 / sindijor@infonet.com.br

Publicado em Notícias