Vale a pena pensar positivo

Vale a pena pensar positivo

  

 Imagem: www.altamontanha.com.br

Um número cada vez maior de estudos científicos confirma: pensar positivamente traz diversos benefícios à saúde e à qualidade de vida do ser humano. 

Décadas atrás, falar em pensamento positivo poderia parecer coisa de pessoas ingênuas, crédulas ou místicas. O tempo e a ciência, porém, encarregaram-se de depurar o conceito e analisá-lo de forma mais pragmática. Os resultados têm decepcionado os céticos: as pesquisas mostram que pensar positivamente faz bem à saúde, é um poderoso fator antiestresse e proporciona uma qualidade de vida melhor a seus praticantes. Conheça a seguir alguns dos estudos mais recentes que apontam nesse sentido e exemplos de roteiros a serem adotados para se atingir os resultados obtidos pelos pesquisadores.

1) Amamentação

Pesquisadores holandeses que acompanhavam as atividades de uma unidade de terapia intensiva neonatal sugeriram a um determinado número de mães que, dia após dia, imaginassem o leite fluindo de suas mamas e o contato da pele cálida de seus bebês com elas. O resultado foi uma produção de leite duas vezes maior.

Sugestão – Conforme foi recomendado no estudo, imagine que o leite flui livremente dos mamilos para a boca do bebê. A quantidade produzida é suficiente para alimentá-lo. Imagine intensamente a temperatura e o cheiro do leite, e também a sensação que ele provoca em seu seio. Esse exercício deve ser feito durante dez minutos, duas vezes por dia.

2) Dor

Um estudo da Mount Sinai School of Medicine, em Nova York, indica que o simples ato de relaxar antes de um procedimento médico dolorido já acarreta uma série de benefícios para seu praticante. Os pesquisadores submeteram 200 pacientes com câncer de mama que iam fazer uma biópsia a um relaxamento de 15 minutos induzido por hipnose, que envolvia sugestões para liberar a tensão e imagens mentais agradáveis. Depois dessa atividade, as mulheres precisaram de menos anestesia durante o procedimento e relataram um número bem menor de episódios de dor, náusea, fadiga e estresse emocional.

Sugestão – Antes de uma ocasião estressante, passe dez minutos relaxando conscientemente cada membro do seu corpo. Permita que cada área do organismo desfaça o estresse e se torne mais pesada, tranquila e imersa em paz.

3) Dores de cabeça

Pesquisados por cientistas do University College, de Londres, pacientes de enxaqueca informaram que o treinamento em imaginação dirigida ajudou a reduzir a intensidade de suas dores de cabeça, embora aparelhos que controlavam eletronicamente seu estado não detectassem nenhuma alteração perceptível no quadro.

Sugestão
– Escolha um local tranquilo e, confortavelmente instalado, imagine um jato de luz azul ou rosa cruzando sua cabeça, retirando a dor de cabeça e trazendo calma à região afetada.

 4) Humor e autoestima

Uma pesquisa realizada por cientistas da Universidade do Sul da Flórida mostrou que a visualização reduziu significativamente os sintomas de ansiedade, depressão e fadiga em pacientes com bronquite crônica e enfisema. Segundo um estudo publicado no Journal of Holistic Nursing, o método amenizou a depressão e estimulou a autoestima em mulheres que sofriam de depressão pós-parto.

Sugestão – Imagine-se em um lugar calmo e maravilhoso. Sorridente, você está cercado por amigos que o cumprimentam por suas qualidades. Imagine-se forte e cheio de alegria, enquanto consegue o que quer e faz o que deseja no mundo.

5) Imunidade

Pesquisadores dinamarqueses concluíram que imaginar que o próprio sistema imunológico é forte já basta para aumentar o número de linfócitos conhecidos como células NK (do inglês "natural killer", ou assassino natural). Pacientes de câncer que usaram diariamente a imaginação criativa ao longo de um ano conseguiram aumentar significativamente a quantidade de glóbulos brancos (leucócitos), integrantes fundamentais das defesas do organismo.

Sugestão –
Encontre uma imagem representativa de um sistema imunológico forte com a qual você mais se identifique – por exemplo, um exército bem equipado e treinado que vai dizimando implacavelmente os invasores, ou uma luz intensa que, aplicada sobre a área afetada, destrói as células inimigas. Sinta seu corpo mais forte e saudável em consequência da vitória do seu sistema imunológico.

6) Recuperação/adaptação de tecido

O pensamento positivo pode ajudar tecidos do corpo a se regenerar ou até a adaptar-se a certas preferências estéticas, conforme se dá para inferir de um estudo publicado no American Journal of Clinical Hypnosis. Segundo essa pesquisa, 35 mulheres passaram por sessões de hipnose nas quais recebiam a sugestão de visualizar seus seios pulsando, com água morna fluindo dentro deles e ajudando-os a crescer. Depois de 12 semanas de tratamento, 84% das participantes constataram que seus seios haviam aumentado – em média, 3,3 centímetros. Nada menos do que 46% dessas mulheres tiveram de comprar sutiãs maiores.

Sugestão – Se você estiver machucado, envolva mentalmente a parte lesionada em branco ou verde, enquanto a imagina cada vez mais energizada e voltando ao normal. A visualização deve ser feita até quatro vezes por dia.

 Imagem: o2porminuto.uol.com.br

7) Rendimento esportivo

Para pesquisadores australianos, os ganhos de desempenho obtidos pelos atletas que se dopam com essa finalidade estão todos em sua mente. A pesquisa comparou esportistas que tomaram o hormônio do crescimento (substância proibida pelo Comitê Olímpico Internacional) com outros que ingeriram placebo. Estes últimos correram mais, saltaram mais alto e levantaram pesos maiores do que os demais. Os resultados indicam que se a pessoa pensa que vai ter um desempenho melhor, certamente isso ocorrerá – o que não é novidade para muitos atletas profissionais que, por anos, usaram a visualização criativa para aprimorar seu desempenho. "Se você visualiza a si mesmo como uma pessoa mais forte, que corre mais rápido ou vence, está preparando seu sistema nervoso para fazer exatamente isso", afirma a doutora Aimee Kimball, diretora de treinamento mental na medicina esportiva da Universidade de Pittsburgh (Estados Unidos). Com isso, afirma a médica, é possível melhorar o desempenho em 20% ou até mais.

Sugestão –
Visualize sua próxima competição e imagine-se vencendo com facilidade, confiança e coordenação, de forma tão detalhada quanto possível. Sinta as emoções apropriadas enquanto compete e vence, e impregne-se da sensação de você realmente "saber" que pode conseguir aquilo.

8) Síndrome do intestino irritável

Um dos mais frequentes transtornos digestivos contemporâneos, a síndrome do intestino irritável (SII, ou IBS, na sigla em inglês) tem sido enfrentada com sucesso pela hipnoterapia, e até gastroenterologistas famosos têm indicado a técnica. De acordo com pesquisadores do King’s College, de Londres, imagens como um rio que corre velozmente no intestino, reduz sua marcha e alivia as dores podem ajudar significativamente quem sofre da doença. Outro estudo, do Withington Hospital (Grã-Bretanha), revelou que 71% dos pacientes que passaram por sessões de hipnoterapia durante 12 semanas conseguiram amenizar os efeitos da SII ao longo de cinco anos após o tratamento.

Sugestão – Sente-se calmamente e imagine cada membro de seu corpo tornando-se mais leve e, em seguida, mais pesado. Em seguida, visualize um rio calmo fluindo através do intestino; ele primeiramente flui na "velocidade normal" de seu intestino e depois essa velocidade baixa até se tornar a "adequada" para fazer os sintomas desaparecerem.

9) Tensão Pré-Menstrual

Segundo o Massachusetts General Hospital, de Boston, imaginar ciclos menstruais mais longos e dores menstruais menores pode aumentar os intervalos entre as menstruações. Doze entre 15 mulheres que usaram a visualização criativa durante três meses conseguiram ampliar seu ciclo menstrual em cerca de quatro dias. Elas também reduziram pela metade a sensação de dores prémenstruais e relataram um número menor de mudanças de humor.

Sugestão –
Concentre-se na área ao redor de seu útero. Imagine que qualquer inchaço, tensão, peso ou dor se dispersa numa névoa úmida. Imagine a área imersa num verde ou branco refrescante.

Pensar de forma positiva é simples questão de treino: substituir o programa mental que examina tudo sob uma ótica negativa, repleta de preconceitos e informações erradas ou insuficientes, por outro que deixa espaço para o novo, o aprendizado e a possibilidade de que a experiência seja bem-sucedida – ou, no mínimo, que forneça lições para um desempenho melhor quando uma situação semelhante surgir no futuro. Esse é um exercício a ser incorporado no cotidiano, e quanto mais vezes for repetido, mais automatizada ficará a perspectiva positiva.

Fonte: www.terra.com.br/revistaplaneta

 

Publicado em Entrevistas

Sugestões são sempre bem-vindas. Um abraço!