Vida e obra de Araripe Coutinho na Sociedade Semear

No próximo dia 30, a partir das 18h, na Galeria Jenner Augusto (Sociedade Semear), acontece a abertura da exposição que homenageia um dos poetas mais irreverentes da história cultural de Sergipe: Araripe Coutinho. Com a curadoria e anteprojeto da acadêmica Antônia Amorosa, ocupante da cadeira 33 que tem como patrono, o homenageado, a exposição integra ações do seu cinquentenário, tendo a concepção cenográfica desenvolvida pela arquiteta Ana de Cáscia Martins, Hélio Aguiar e a designer de interiores Luciana Galvão, além da participação especial em um ambiente, da arquiteta Marianna Albuquerque.

A exposição exalta a história do poeta, jornalista, órfão de mãe viva, cidadão que transitava pelos grandes eventos da cidade, tendo o mesmo acesso às classes menos favorecidas ou vulneráveis – ao ponto de desenvolver projetos sociais desconhecidos por muitos, além de ter atuado intensamente pela valorização da literatura. Inquieto e inteligente, viveu 45 anos na arte de criar, ousar, escrever, servir aos grandes e pequenos, desafiando os limites pessoais e alheios através dos seus textos ou comentários provocativos. Polêmico, Araripe foi amado por uns e odiado por outros, sem passar despercebido.

Segundo a acadêmica e amiga que assina a curadoria, a arquiteta Ana de Cáscia conhece Araripe há muitos anos, tendo sido frequentadora de sua residência, o mesmo ocorrendo com a designer de interiores Luciana Galvão. “Por conhecerem seu estilo e modo de agir, o envolvimento afetivo delas e a participação de Hélio Aguiar, que trouxe um olhar de quem estava conhecendo com maior profundidade o homenageado, agregou valor inestimável a este sonho de honrar sua memória através de três talentos que assinam um marco na história das exposições em Sergipe e o mercado da arquitetura e designer de interiores. Esta exposição irá revelar, não apenas o homenageado, mas a sensibilidade de um projeto que se edificou por muitas mãos, alicerçadas no bem, na saudade e, pela arte, manifesta na técnica de Ana de Cáscia, na criatividade de Luciana Galvão, na praticidade de Hélio Aguiar e na sensibilidade de Mariana Cavalcante, convidada especial”, comenta Amorosa.

Com um espaço que foi dividido em mais de dez ambientes, a exposição destaca aspectos cronológicos, jargões e conceitos que revelam seu estilo, suas ações culturais e sociais, sem esquecer do episódio do museu que foi assunto nacional, por conta de um ensaio fotográfico realizado pelo poeta no Palácio Museu Olímpio Campos. Além disso, objetos do seu acervo e um espaço interativo fazem a tônica expositiva.

O projeto conta, até o momento, com o apoio cultural e/ou de serviços dos profissionais Ana de Cáscia Martins, Hélio Aguiar e Luciana Galvão; da Sociedade Semear, TV Alese, Colégio Purificação, Instituto Banese, Sob Medida, Eldorado Casa da Arte, Casa das Tintas, Serigy Madeiras, DNA Gesso, Casa Nova, Pisolar e Café da Gente; dos fotógrafos Gilton Rosas, Aluízio Accioly, Fábio Pamplona, Lúcio Telles, Alexandre Zagatto, Isa Foz e Eduardo Andrade, e dos amigos que somaram desde o lançamento oficial no dia 13/12, data que marca seu aniversário, em especial, a Academia de Letras de Aracaju.

Para ter acesso à exposição, que terá monitoramento, é necessário encaminhar a mensagem “Eu quero visitar a Exposição sobre Araripe” para o e-mail exposicao50@gmail.com. As informações para visitação também podem ser enviadas pelo whatsapp (79) 99849-8249. A visitação segue até o final do mês de março, de quarta a sábado, das 18h às 21h.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Notícias relacionadas:

´Araripe Coutinho: ousado, lindo, puro sentimento…´

´Oficina da Palavra´ resgata mulheres em situação de prisão

Internas do Presídio Feminino participam da ´Oficina da Palavra´

Publicado em Notícias