Feira de Antiguidades do Masp – por Helô Rocha


Warning: preg_match(): Compilation failed: invalid range in character class at offset 4 in /home/digamais/public_html/inclusaosocial/wp-content/plugins/lightbox-plus/classes/shd.class.php on line 1384

Warning: preg_match_all(): Compilation failed: invalid range in character class at offset 4 in /home/digamais/public_html/inclusaosocial/wp-content/plugins/lightbox-plus/classes/shd.class.php on line 700

Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/digamais/public_html/inclusaosocial/wp-content/plugins/lightbox-plus/classes/shd.class.php on line 707

Warning: preg_match_all(): Compilation failed: invalid range in character class at offset 4 in /home/digamais/public_html/inclusaosocial/wp-content/plugins/lightbox-plus/classes/shd.class.php on line 700

Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/digamais/public_html/inclusaosocial/wp-content/plugins/lightbox-plus/classes/shd.class.php on line 707

Feira de Antiguidades do Masp – por Helô Rocha*

 Com um acervo composto por cerca de 5,5 mil obras, o Museu de Arte de São Paulo (Masp) é considerado o mais importante museu de arte da América Latina. Além de inúmeras exposições que chegam ao longo do ano, há trabalhos permanentes de pintores e escultores como Rafael, Cézanne, Monet, Renoir, Van Gogh e Picasso, entre outros. Entre os brasileiros, estão nomes como Cândido Portinari, Anita Malfatti e Di Cavalcanti.

 Entretanto, são nos dias de domingo que o Masp lota com sua feira de antiguidades. Há vinte anos, a feira reúne colecionadores e expositores. Além disso, recebe milhares de pessoas à procura de raridades, quadros, esculturas, luminárias, candelabros, moedas antigas e objetos para a casa.

A Feira de Antiguidade do Masp, localizada no vão do Museu, abriga 92 barracas de colecionadores para exposição e vendas de artigos raros e variados. Infelizmente, o espaço não é favorável para as pessoas com deficiência. O vão do Masp, onde é montada a Feira, é revestido por paralelepípedo. Esse tipo de piso dificulta a travessia de um cadeirante, além de ser incômodo para carrinho de bebê, salto alto e muletas. Para completar, o espaço não possui rampa ou rebaixamento.

Em compensação, a estrutura interna do Museu possui elevadores, rampas e banheiros adaptados que favorecem a visitação das pessoas com deficiência física.

*Helô Rocha é jornalista. Atualmente reside em São Paulo, é portadora de Osteogênese Imperfeita, membro da Ong ISocial e correspondente do Portal Inclusão Social.

Publicado em Notícias